Notícias

Aulas do MSGL no Pio XII utilizam metodologia interdisciplinar STEAM

Os alunos do Colégio Franciscano Pio XII (São Paulo, SP) participam de atividades e iniciativas para o que o aluno desenvolva o senso crítico e esteja preparado para o universo acadêmico e os desafios como cidadão. Trabalho voluntário, projetos interdisciplinares e currículo internacional são algumas atividades incentivadas pelo Colégio.

Dentre elas, a base da imersão em língua inglesa faz parte do programa Middle School Global Leaders, em parceria com a University of Missouri e a HSE. O MSGL usa a metodologia de ensino da língua inglesa interdisciplinar STEAM (Science, Technology, Engineering, Arts, Mathematics) em um currículo integrado de Ciências Humanas baseado em tópicos da agenda Global Issues da ONU. Além do aprendizado do idioma, o programa tem como objetivo despertar o interesse do aluno por assuntos globais para temas do cotidiano de nosso país.

Para a coordenadora do Middle School e do High School do Pio XII, Heloísa Parciasepe, “O objetivo do curso é formar um aluno mais reflexivo e crítico por meio de discussão, debates e redação sobre os temas propostos, a fim de desenvolver um jovem com perfil para o século 21. Aprender inglês e colocar em prática a cidadania é uma forma de preparar os alunos para o futuro”.

Bibliotecária Daniela e as alunas do MSGL, Carolina Peixoto e Ana Júlia Prandini
Alunas do Middle School em atividades ao ar livre

Fluência na língua inglesa é o foco do USCHOOL do Colégio Uirapuru (Sorocaba, SP)

O estudo da língua inglesa faz parte de um projeto internacional do Colégio Uirapuru (Sorocaba, SP). Chamado de USCHOOL, o projeto além de ter o Lively Bird, conta com o Middle School e o High School, em parceria com a University of Missouri e a HSE.

No Middle School Global Leaders, os alunos do 6° e 7° anos do Uirapuru têm disciplinas que os fazem pensar globalmente em temas relacionados aos Global Issues das Organizações das Nações Unidas (ONU), como clima, direitos humanos, paz e segurança.

O High School é uma oportunidade de adquirir a fluência no idioma com imersão na cultura americana e conseguir a certificação do Ensino Médio americano, em paralelo ao Ensino Médio brasileiro. Durante os três anos do High School, os alunos são inseridos em matérias no Ensino Médio americano, tais como: Speech (Comunicação em Público), English (Literatura Americana e Inglesa, Gramática, Redação e Interpretação de Textos), US History (História Americana dos Séculos XX e XXI), Government (Governo Americano e Brasileiro), Economics (Fundamentos da Economia de Mercado), Health (Saúde Física e Mental), Career Planning & College Prep (Preparação para o Ensino Médio e Escolha da Profissão) e Marketing for the 21st Century (Marketing do Século XXI).

Maria Carolina Fonseca, que é Coordenadora do USCHOOL, falou sobre o High School, “Essas disciplinas trabalhadas fazem com que o aluno desenvolva seu pensamento crítico, tornando-o um jovem confiante, capaz de incrementar e desenvolver de maneira criativa o seu poder argumentativo”.

Através do Mizzou Direct, os estudantes do High School Uirapuru que cumprem as 16 matérias garantem a admissão automática para a University of Missouri. Renata Vaccari, Coordenadora do Uirapuru High School, acrescenta, “As vantagens de participar do nosso programa de High School são inúmeras. Em primeiro lugar, vem a experiência e o ganho cultural e linguístico, que fazem com que os alunos tenham muita familiaridade com o uso da língua inglesa. Isso, para o jovem do século XXI, faz toda a diferença. Em segundo lugar, existe uma facilidade no processo de acesso às universidades americanas e hoje muitos jovens buscam essas oportunidades fora do país”.

Fonte:  https://g1.globo.com/sao-paulo/sorocaba-jundiai/especial-publicitario/colegio-uirapuru/grandes-historias-no-colegio-uirapuru/noticia/um-mundo-de-oportunidades-para-alunos-que-concluem-high-school-no-brasil.ghtml?utm_source=afiliada&utm_medium=especial_pub&utm_term=chamada&utm_content=colegio_uirapuru&utm_campaign=tv_tem

Ex-aluna, hoje médica, conta como o High School está facilitando sua carreira

A aluna Anna Larissa Faria Janes se formou no High School do Centro Educacional Leonardo da Vinci (Vitória, ES) em 2007. Após o Ensino Médio, Anna Larissa estudou Medicina na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e, em seguida, fez Residência na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Atualmente, mora e trabalha em São Paulo (São Paulo, SP) e irá concluir o Mestrado em Reumatologia em fevereiro de 2018 também pela UNIFESP.

Entre os dias 3 e 8 de novembro de 2017, Anna Larissa participou do American College of Rheumatology Annual Meeting (Encontro Anual da Faculdade Americana de Reumatologia) em San Diego (Califórnia, EUA), juntamente com cerca de 17 mil profissionais da área da Saúde. No encontro, apresentou seu banner sobre uma doença rara na Reumatologia, a arterite de Takayasu, e respondeu às perguntas dos participantes e congressistas. “Foi uma caminhada longa e difícil depois do High School,” comenta.

A ex-aluna descreveu sua vida acadêmica e profissional, enfatizando a importância da aquisição da fluência na língua inglesa em suas conquistas. “Quando eu era mais jovem, encarava o inglês como uma matéria qualquer. Foi só no High School que percebi que o inglês é muito mais do que uma disciplina escolar. O inglês é uma ferramenta de acesso que nos permite descobrir novas culturas e informações. Atualmente, eu sou médica residente em Reumatologia e aluna de mestrado na mesma área. Uma vez que as principais publicações e recomendações em periódicos e diretrizes médicas mundiais estão em inglês, posso dizer que a língua é essencial para todo médico se manter atualizado em sua profissão. Indo mais além, em se tratando de produção científica, a necessidade de versatilidade linguística atinge seu máximo, já que a melhor forma de fazer o conhecimento gerado pelas pesquisas médicas atingir o máximo de leitores – sejam eles pesquisadores ou não –, é publicando as novas descobertas em inglês e facilitando, portanto, o acesso global ao conhecimento”.

Anna Larissa no Encontro anual da Faculdade Americana de Reumatologia na Califórnia

Currículo oficial americano é destaque no Estadão

Está em contínuo crescimento o número de alunos e famílias que procuram programas de ensino fundamental e ensino médio americano no Brasil. A parceria entre a HSE e a University of Missouri oferece os programas Middle School e High School a alunos de todo o Brasil, em mais de 60 escolas, totalmente em inglês.

O High School é ofertado a alunos do 9° ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio, que cursam disciplinas do currículo oficial dos Estados Unidos. Ao término do Ensino Médio, os alunos recebem dois diplomas, o brasileiro e o americano.

O Middle School, por sua vez, é ofertado a alunos do 6º ano ao 8º ano do Ensino Fundamental, permitindo o estudo de um currículo com a abordagem STEAM (Science, Technology, Engineering, Arts and Math) baseado na agenda de “global issues” da ONU. Neste estudo, os alunos atuam como agentes de mudança em sua comunidade e desenvolvem habilidades e competências do século 21, como a colaboração, o pensamento crítico, a comunicação e a resolução de problemas. Ao concluir o ano com sucesso, os alunos recebem um certificado da University of Missouri.

Em matéria divulgada pelo Estadão (jornal impresso e online), são destacados o Colégio Pio XII e o Colégio Dante Alighieri, ambos em São Paulo (SP), que oferecem os programas Middle School e High School para os seus alunos. Além de ser uma oportunidade para os alunos que desejam cursar graduação no exterior, os programas atuam no crescimento acadêmico dos alunos.

“Eles buscam um foco diferente em relação ao aprendizado de inglês, querem desenvolver outras habilidades, como a oralidade,” disse Heloísa Parciasepe, Coordenadora dos programas no Colégio Pio XII. O High School oferece aulas 100% presenciais, com professores estrangeiros em duas tardes por semana. “Eles estudam Saúde, Debate, Marketing, Economia, Planejamento de carreira”.

A mãe do aluno Javier Lopez Franco incentivou o filho a participar do High School no Pio XII para que adquirisse a fluência em inglês. “Achei que a carga horária do currículo brasileiro seria insuficiente. É diferente do inglês da escola regular, em que se aprende muita gramática, mas você sai sem saber falar”, disse Eva.

O aluno conta que cursa o High School porque tem intenção de estudar no exterior, sendo um semestre no Canadá e a faculdade na Espanha. “Não estudo gramática, mas a Literatura. Tem também aula de Saúde com muita conexão com Ciências. Em História, a gente está comparando os mitos gregos com os orientais,” completa Javier.

O Colégio Dante Alighieri, que oferece o High School desde 2009, percebeu a procura de muitas famílias para esta inserção dos alunos na língua inglesa. Rossella Beer, Coordenadora dos programas no Dante, diz “Quanto mais cedo, melhor, porque o cérebro é mais plástico. A gente percebe que a família quer investir numa educação que prepara para o mundo da melhor forma possível. O programa do Middle School, além do inglês, vai preparar para saber decidir, saber conversar, entender os problemas do mundo. Algo que é levado em conta no mercado de trabalho nacional e internacional.”

Leia a matéria completa no site do Estadão:

01
Javier Lopez, aluno do High School no Pio XII
02
Eduardo Rubini, aluno do High School no Dante, estudou Economia em universidade americana

Pancake Party no Anglo Cassiano Ricardo

Os alunos do High School no Colégio Anglo Cassiano Ricardo (São José dos Campos, SP) se reuniram para um workshop de panquecas americanas com o professor Shea McCandless. Eles aprenderam a receita, atentos, enquanto aguardavam ansiosamente para experimentar as famosas panquecas com maple syrup.

Os alunos da National Honor Society, selecionados pelo alto desenvolvimento acadêmico no High School, foram homenageados e receberam o pin enviado pela Mizzou. Na ocasião, os alunos também puderam aprender técnicas de preparo para o exame TOEFL com Nara Ribeiro, da Education USA.

“Preparamos a ocasião festiva também para homenagear os alunos da National Honor Society. Podemos dizer que tivemos momentos de descontração, aprendizado e incentivo; tudo tão americano quanto o nosso High School” disse a Coordenadora Denise Ormond.

01

02

03

04

05

06

MSGL Camp 2017

O MSGL Camp 2017 aconteceu entre os dias 7 e 10 de setembro no Repúbllica Lago, na cidade de Leme (SP), reunindo alunos, professores, coordenadores, representantes da HSE e da University of Missouri.

Após a chegada, o grupo participou de uma animado almoço para logo em seguida conhecer as instalações e arrumar os chalés. Banana boat, eco-friendly e cops foram as atividade recreativas que os alunos participaram para se enturmar com os outros participantes. À noite, participaram de um jantar e uma festa.

O segundo dia começou com a atividade Lake para saber mais sobre o ecossistema do lago da propriedade e a importância dos cuidados das matas ciliares. Na atividade Garden puderam pôr a mão na terra e entender como é o cultivo de uma horta.

“Os alunos estão adorando. Estão impressionados com a estrutura do Rep Lago. Poder praticar um pouco do que está sendo estudado nas aulas de Middle School, além de aproveitar os esportes aquáticos do lindo acampamento, se deliciar de uma culinária de primeira. E, ainda, tudo isso em Inglês. Vão querer voltar, sem dúvida!”, disse a Coordenadora do MSGL no Mackenzie Tamboré, Erica Constantino.

Em uma mata ciliar, os alunos participaram do projeto “Água das Bandeiras”, com três estações. A primeira abrange o conhecimento da mata ciliar, formação do solo, erosão, lixiviação, cursos d’água, qualidade da água nos rios e filtragem da água. A segunda estação, que é no interior da mata, estuda os temas de ecologia, sucessão de espécies arbóreas e ciclagem de nutrientes. Na terceira estação, os alunos entenderam sobre o lençol freático, o percurso subterrâneo da água até chegar na nascente e como é importante o lençol freático para o ecossistema. Os alunos até montaram uma simulação de lençol freático.

01
1° dia do MSGL Camp
02
1° dia do MSGL Camp
03
1° dia do MSGL Camp
04
1° dia do MSGL Camp
05
1° dia do MSGL Camp
06
1° dia do MSGL Camp
07
1° dia do MSGL Camp
08
1° dia do MSGL Camp
09
1° dia do MSGL Camp
10
1° dia do MSGL Camp
11
2° dia do MSGL Camp
12
2° dia do MSGL Camp
13
2° dia do MSGL Camp
14
2° dia do MSGL Camp
15
2° dia do MSGL Camp
16
2° dia do MSGL Camp
17
2° dia do MSGL Camp
18
2° dia do MSGL Camp
19
2° dia do MSGL Camp
20
2° dia do MSGL Camp
21
2° dia do MSGL Camp
22
2° dia do MSGL Camp
23
2° dia do MSGL Camp
24
3° dia de MSGL Camp
25
3° dia de MSGL Camp
26
3° dia de MSGL Camp
27
3° dia de MSGL Camp
28
3° dia de MSGL Camp
29
3° dia de MSGL Camp
30
4° dia do MSGL Camp
31
4° dia do MSGL Camp
32
4° dia do MSGL Camp
33
4° dia do MSGL Camp
34
4° dia do MSGL Camp
35
4° dia do MSGL Camp: Monitores do Rep Lago e representantes da HSE e Mizzou
36
4° dia do MSGL Camp
37
4° dia do MSGL Camp

6° Encontro de Coordenadores do Programa High School em São Paulo

Em 02 de setembro, aconteceu o 6° Encontro de Coordenadores do High School em São Paulo. Representantes da HSE, da University of Missouri e Coordenadores das Escolas Parceiras reuniram-se para conversar sobre os principais tópicos do Programa no decorrer de 2017 e novidades para 2018.

O tema do encontro foi Liderança Educacional em Ensino Colaborativo (Educational Leadership in Co-Teaching). O grupo compartilhou as práticas bem-sucedidas nas aulas do High School em suas escolas e discutiu os conceitos de Liderança Educacional, Estabelecimento de Metas, Avaliação e Diferenciação, Wish-Outcome-Obstacle-Plan (W.O.O.P) e, também, o planejamento das disciplinas para 2018.

Roberta Mayumi, Coordenadora na FourC Bilingual School (Bauru, SP), que apresentou na oportunidade ideias praticadas na Escola para tornar o High School e o aprendizado visível, comentou “É sempre melhor aprendermos juntos”.

“Um encontro de ideias, experiências e muito aprendizado, com um grande objetivo em comum: oferecer o melhor para os nossos alunos”, definiu Danielle Breier, Coordenadora do Maxi Cuiabá (Cuiabá, MT).

01
Rogério Abaurre (HSE) e Kathryn Fishman-Weaver (Mizzou K-12) dão as boas vindas
02
Rogério Abaurre (HSE) e Kathryn Fishman-Weaver (Mizzou K-12)
03
Equipe da HSE-MK12 e Coordenadoras do High School
04
Erika Zaidan (Mackenzie Brasília), Kathryn Fishman-Weaver (Mizzou K-12) e Érica Constantino (Mackenzie Tamboré)
05
Coordenadoras no Anglo Limeira (Limeira, SP), FourC (Bauru, SP) e Bom Jesus (Curitiba, PR)
06
Coordenadoras no Anglo Cassiano Ricardo (São José dos Campos, SP) e Nacional (Uberlândia, MG)
07
Coordenadores no São Miguel (São Paulo, SP) e Escola Dinâmica (Florianópolis, SC)
28
Heloísa Parciasepe, Coordenadora do Pio XII (São Paulo, SP), apresenta a ideia discutida em grupo
08
Geysa Rangel, Coordenadora no Agostiniano São José (São Paulo, SP), compartilha ideias para ampliar o número de matrículas
09
Coordenadoras no Magno (São Paulo, SP) e Uirapuru (Sorocaba, SP)
10
Bert Garner, Coordenador no Dante Alighieri (São Paulo, SP), fala sobre o apoio aos professores do Programa
11
Roberta Mayumi, Coordenadora no FourC (Bauru, SP), discute a importância do apoio tanto para os alunos quanto aos professores
12
Matt Miltenberg (Mizzou K-12) apresentou diferentes formas de admissão em universidades americanas
13
Luiza Dutra, Coordenadora no Magno (São Paulo, SP), explicou sobre o relacionamento com os pais e a preparação para as cerimônias de formatura
14
Discussão em grupo e troca de experiências entre o Da Vinci (Vitória, ES), Harmonia (Campo Grande, MS) e FourC (Bauru, SP)
15
Coordenadores no Maxi (Londrina, PR) e Madre de Deus (Recife, PE)
16
Cristiano Carvalho, Coordenador no Da Vinci (Vitória, ES), enfatizou a importância do envolvimento da família no Programa
17
Coordenadoras no Singular (Santo André, SP), Magno (São Paulo, SP), Uirapuru (Sorocaba, SP), Drummond (Lorena, SP) e Fênix (Guaratinguetá, SP)
18
Coordenadoras no CLQ (Piracicaba, SP), Coleguium (Belo Horizonte, MG) e Bom Jesus (Curitiba, SP) apresentam o resultado do trabalho em grupo
19
Daniele Breier, Coordenadora do Maxi (Cuiabá, MT) mostra como visualiza o High School em sua comunidade
20
Coordenadores no Damas (Recife, PE), Anglo Cassiano Ricardo (São José dos Campos), Nacional (Uberlândia, MG), Coleguium (Belo Horizonte, MG) e CEI (Natal, RN)
21
Coordenadores no CLQ (Piracicaba, SP), Notre Dame (Campinas, SP), Escola Dinâmica (Florianópolis, SC), Alfa (Cascavel, PR) e São Miguel (São Paulo, SP)
22
Coordenadores no Emílio Ribas (Pindamonhangaba, SP), Jean Piaget (Santos, SP), Escola Dinâmica (Florianópolis, SC) e Maxi (Cuiabá, MT)
23
Coordenadores no Dante Alighieri (São Paulo, SP), Bom Jesus (Blumenau, SC), Da Vinci (Vitória, ES), Uirapuru (Sorocaba, SP) e Harmonia (Campo Grande, MS)
24
Coordenadoras no Bertoni (Foz do Iguaçu, PR) e Sepam (Ponta Grossa, PR)
25
Kathryn Fishman-Weaver fala sobre os valores educacionais
26
Gina Adele, Coordenadora no Liceu Albert Sabin (Ribeirão Preto, SP) e Julia Vasconcellos, da HSE
27
Equipe da HSE-MK12 e Coordenadores do High School

Ryan Griffin visita escolas parceiras do Programa High School no Brasil

A procura de brasileiros por oportunidades de estudar fora do país nunca foi tão grande. Para esclarecer informações sobre o processo seletivo em universidades americanas, Ryan Griffin, Diretor do Departamento de Admissão de Alunos Internacionais da University of Missouri, conversou com alunos e famílias sobre a importância que o High School exerce no processo de admissão.

Griffin relatou como é a vida no campus universitário, falou sobre os mais de 300 cursos de graduação oferecidos pela Universidade e descreveu o Mizzou Direct, um programa exclusivo para alunos do High School que possibilita a admissão direta à Universidade, além de bolsa específica para os alunos do High School e o processo de admissão.

As escolas visitadas foram Colégio Jean Piaget (Santos, SP), Colégios Presbiterianos Mackenzie Tamboré (Barueri, SP) e Mackenzie Brasília (Brasília, DF), Escola Dinâmica (Florianópolis, SC), Colégio CLQ (Piracicaba, SP) e Anglo Cassiano Ricardo (São José dos Campos, SP).

01
Mackenzie Brasília
02
Mackenzie Brasília
03
Mackenzie Tamboré
04
Mackenzie Tamboré
05
Mackenzie Tamboré
06
Escola Dinâmica Bilingual School
07
Escola Dinâmica Bilingual School
08
Escola Dinâmica Bilingual School
09
CLQ
10
CLQ
11
CLQ
12
CLQ
13
Jean Piaget
14
Jean Piaget
15
Jean Piaget
16
Anglo Cassiano Ricardo
17
Anglo Cassiano Ricardo
18
Anglo Cassiano Ricardo

1° Encontro de Coordenadores do programa Middle School Global Leaders 2017

Em 1° de setembro, representantes da HSE, da University of Missouri e Coordenadores do Middle School Global Leaders (MSGL) reuniram-se em São Paulo para conversar sobre como tornar o aprendizado visível (“Making Learning Visible”). Em 2017, com 4 aulas semanais, os alunos de 7° e 8° anos do Ensino Fundamental estudam um currículo internacional integrado com assuntos de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Arte, Matemática, problemáticas indicadas pela ONU, colaboração em equipe e liderança. A partir de 2018, este mesmo programa estará disponível também para alunos de 6° ano do Ensino Fundamental.

Kathryn Fishman-Weaver, Diretora Acadêmica da Mizzou K-12, comentou que o MSGL faz parte de um grande sonho na Educação e que um ano atrás esse programa era somente um sonho. “Desde janeiro, todos nós trabalhamos juntos para tornar esse sonho realidade”.

“O programa nos surpreendeu pela expressiva adesão em 2017, reafirmando a existência do interesse das famílias por um currículo internacional para alunos de 7° e 8° anos”, disse Rogério Abaurre, Coordenador Nacional do MSGL e do High School.

01
HSE, University of Missouri e Coordenadores do MSGL
02
Rogério Abaurre, da HSE
03
Coordenadores do MSGL no Colégio Dante Alighieri
04
Ryan Griffin, Diretor de Admissões Internacionais da University of Missouri, e Graciela Turco, Coordenadora do Colégio Jean Piaget
05
Érica Constantino, Coordenadora do Colégio Mackenzie Tamboré
06
Katherine Sasser, Lead Teacher do MSGL, exemplifica uma atividade
07
Renata Vaccari, Coordenadora do Colégio Uirapuru
08
Mizzou K-12: Matt Miltenberg, Kathryn Fishman-Weaver e Katherine Sasser
09
Kathryn Fishman-Weaver, Diretora Acadêmica da Mizzou K-12
10
Coordenadores do MSGL
11
Em pauta: Tornar o aprendizado visível
Cristiano Carvalho, Coordenador do Centro Educacional Leonardo Da Vinci
Heloísa Parciasepe, Coordenadora do Colégio Pio XII, praticando uma das atividades do MSGL
14
Luíza Dutra, Coordenadora do Magno, escuta a atividade gravada com Maria Bernadete, da HSE
15
Maria Isabel Morandi, da HSE, mostra o resultado da atividade para a Coordenadora Gina Adele, do Liceu Albert Sabin
16
O grupo diverte-se com os itens decorativos da Mizzou
17
HSE-Mizzou K-12
18
Representantes da HSE
19
Kathryn Fishman-Weaver e Maura Siqueira, Professora e Coordenadora do MSGL no Colégio Portal Limeira

Alunos do Mackenzie Tamboré no XIV Fórum FAAP 2017

O XIV Fórum FAAP 2017, simulação da Conferência da ONU, aconteceu entre os dias 06 e 09 de setembro, em São Paulo (SP). É uma excelente oportunidade para que os alunos participantes, chamados de delegados, ajam como diplomatas, representando seus países em assuntos relacionados à saúde, ao comércio, aos direitos humanos, entre outros.

Alunos do Mackenzie Tamboré (Barueri, SP) venceram como a melhor delegação no Fórum. Dentre os delegados premiados estão dois alunos do High School: Thalissa Reis, 1ª Série do Ensino Médio, e Gustavo Luchesi, 2ª Série do Ensino Médio.

faap